O grupo DNA Pontepretano, derrotado nas eleições da Ponte Preta, descartou o recurso judicial para recorrer ao pleito das eleições do último dia 20.

Em pronunciamento da chapa, assinado por Alexandre Gialluca, Eduardo Lacerda Fernandes, Fernando Porto, João Carlos Cunha, Matheus Mello, Giovanni Dimarzio, Rodolfo Rufeisen e Stephan Campineiro, foi colocado novamente a insatisfação pela condução das eleições.

CONFIRA A NOTA:

Em respeito a cada um de vocês que nos acompanharam, incentivaram e sonharam junto conosco nos últimos meses, informamos que a chapa DNA PONTEPRETANO seguirá forte, atuante e com o propósito de pensar, fiscalizar e propor discussões que colaborem com o futuro de nossa amada Associação Atlética Ponte Preta.

Motivos para continuar lutando, buscando os direitos da chapa para anulação do processo eleitoral realizado no último sábado, 20/11, e a realização de um novo pleito não nos faltam.

Mas, acima de tudo, colocamos os interesses da instituição em primeiro lugar e entendemos que uma disputa judicial, sem previsão de término, poderia prejudicar a preparação do clube para a temporada 2022 e os grandes desafios que nossa Macaca Querida terá pela frente, dentro e fora de campo. Além disso, as ameaças inaceitáveis a que nossos conselheiros foram expostos nos motivam a dar um basta nessa situação, visando *preservar a integridade de cada um deles e de seus familiares. A segurança de nossos conselheiros e apoiadores é inegociável * para o DNA PONTEPRETANO.

Ainda que o processo eleitoral conduzido pelo Conselho Deliberativo siga seu curso nos próximos dias, destacamos que jamais vamos compactuar com os fatos reprováveis e desrespeitosos aos quais fomos expostos nos últimos meses, desde as exclusões arbitrárias de conselheiros pontepretanos que tiveram que buscar socorro no Poder Judiciário para recuperar seus direitos políticos até o lamentável vazamento de dados pessoais que culminou com mais de uma centena de ameaças de morte, violência física e depredação de patrimônio sofridas por inúmeros de nossos conselheiros no curso do processo eleitoral e, em especial, na véspera da eleição. *Um golpe desproporcional, que mais uma vez atentou contra a fragilizada democracia alvinegra. *

Essa não foi uma decisão fácil, mas como sempre fizemos desde nosso primeiro encontro, ainda em 2020, nossa prioridade é e sempre será a Ponte Preta, independentemente de vaidades ou qualquer tipo de interesse pessoal.

Lamentamos que o Conselho Deliberativo e a Diretoria Executiva do clube tenham agido de forma tão insensível e desinteressada na apuração dos fatos registrados, fechando seus olhos e não acolhendo conselheiros que foram coagidos a não saírem de suas casas para exercer seu direito de voto. Por isso, essa é uma causa que também seguirá seu curso natural na Justiça. Não tenham dúvidas que o Poder Judiciário tratará de apontar e punir os responsáveis por tais atos, que serão responsabilizados na proporção dos danos causados. Temos a certeza de que o tempo cuidará de deixar claro para quem ainda não entendeu – ou não quer entender – a real forma como o processo eleitoral pontepretano foi conduzido.

Entendemos que, na vida, há um propósito para tudo. Há tempo de chorar e de rir, tempo de calar e de falar, tempo de lutar e tempo de viver em paz. Decidimos ouvir a voz da razão, deixando o coração de lado. Acreditamos que seja tempo de viver em paz. E que essa paz possa trazer sabedoria, profissionalismo e transparência para que aqueles que se preparam para conduzir a Ponte Preta nos próximos quatro anos possam fazer isso com a competência esperada por todos. Nós estaremos aqui, de forma pacífica e democrática, para acompanhar de perto, fiscalizar e contribuir para o crescimento de nossa maior paixão.

A partir de agora, o DNA PONTEPRETANO segue um novo caminho, uma jornada buscando se fortalecer e angariar novos apoiadores que comungam dos mesmos princípios éticos para que, em breve, possamos realizar o sonho de transformar a realidade de nossa Macaca Querida. *Os sonhos não envelhecem e nós voltaremos ainda mais fortes para esse grande desafio: sonhamos com a construção de uma Ponte Preta gigante, verdadeiramente democrática e que respeite sua gente. Jamais abriremos mão deste sonho.

Comente com seu Facebook