Apesar dos problemas físicos, Cajá se coloca à disposição

0
Desde que voltou ao Majestoso, em março, Renato Cajá não conseguiu ter sequência de jogos por causa das constantes lesões

A quarta passagem do meia Renato Cajá com a camisa da Ponte Preta foi a pior de todas. O meia voltou ao Majestoso na reta final do Paulistão, no final de março, para ser o principal articulador do meio campo alvinegro na campanha da Série A do Brasileirão. O problema é que o jogador sofreu com problemas físicos e chegou nem perto de reeditar grandes apresentações com a camisa alvinegra.

Lesões musculares e nos joelhos têm atrapalhado constantemente a sequência do jogador. Um desgaste ósseo do atleta foi desmentido pelo departamento médico pontepretano. “Falam muita coisa que pode até me prejudicar no futuro, mas estou me recuperando e tentando ajudar a Ponte”, disse o jogador que deixou em aberto a permanência dele para o ano que vem. “Não sei se vou continuar, mas não quero sair daqui com a Ponte rebaixada”.

Na última quarta-feira, Cajá voltou a defender a camisa pontepretana depois de quase um mês de recuperação de uma lesão na panturrilha. O jogador voltaria a fica à disposição no jogo contra o Avaí no dia 22 de outubro, mas ainda no aquecimento sentiu e não teve condições de retornar aos gramados.

Renato Cajá, que tem 33 anos, reconhece que dificilmente conseguirá atuar durante os 90 minutos de alguma das 3 partidas que faltam para terminar o Brasileirão, mas ele prefere tentar ajudar da maneira que puder: “Eu poderia ficar ali, no departamento médico até o campeonato acabar, mas estou me dedicando. Algumas pessoas me chamam de chinelinho, só que o chinelinho vai pro jogo”, afirmou.