Quando perguntam qual grande jogador da história da Ponte Preta muitos citam Dicá como a resposta. Outros mencionados como Carlos, Bruninho ou Oscar, mas o camisa 10 ainda predomina em unanimidade no Moisés Lucarelli.

Mas na história de quase 120 anos da Macaca existem outros grandes meio-campistas que marcaram época.

Listamos 10 nomes que tiveram consistência, boas atuações e relevância no cenário pontepretano.

E qual meia que você lembraria na história do clube? Deixe na caixa dos comentários.

Mestre Dicá
Considerado por nove de cada dez pontepretanos o maior da história do clube. Principal goleador com 155 gols em 581 jogos, Dicá é o maior símbolo pontepretano em toda história e comandou a equipe nas principais conquistas ao longo de quase 120 anos.

Marco Aurélio Moreira
Cria do Fluminense, Marco Aurélio Moreira se tornou um dos principais engates da Macaca em 1977 e também se tornou unanimidade como um dos grandes nomes da história do clube.

Renato Cajá
Dois vices no Paulistão, dois acessos, vitórias em dérbis e golaços marcados ao longo de suas passagens. Cajá não é mais unanimidade pela quantidade de idas e vindas e também por ter participado pouco no Brasileirão em 2017 após sofrer com o condicionamento físico. É um dos mais técnicos jogadores da história.

Manfrini
Manfrini foi nome importante na história da Ponte Preta nos quatro anos que permaneceu no Moisés Lucarelli. Ficou entre 1968 a 1972 antes de se transferir para o Fluminense, Palmeiras e Botafogo.

Adrianinho
Outra cria do Moisés Lucarelli, Adrianinho é um dos atletas com maior identificação com a Ponte Preta. O atleta disputou 258 jogos e marcou 36 gols. Acumula no currículo os mais variados momentos: fuga de rebaixamento, queda, acesso, final de Sul-Americana e gol perdido que poderia dar título na Série B. É respeitado pela maior parte da torcida por não esconder o carinho com o clube.

Marcelo Borges
Canhoto com boa bola parada, Marcelo Borges desembarcou no Moisés Lucarelli nos anos 90 e se tornou nome importante no acesso para elite do futebol paulista. É para muitos um dos mais técnicos jogadores da era recente do clube.

Bibe
No São Paulo foram 152 jogos enquanto na Macaca participou de 348 partidas com 88 gols marcados. Foi um dos principais nomes da década de 50 e 60 participando de jogos memoráveis em Campinas.

Roberto Pinto
Um dos grandes nomes da década de 50 no futebol carioca, Roberto Pinto chegou experiente ao Moisés Lucarelli e ainda assim participou de momentos importantes do clube ao lado de Dicá, Manfrini e outros ídolos alvinegros.

Piá
Bom de bola e polêmico. O melhor momento da carreira de Piá ocorreu justamente com a camisa da Macaca. Entre 1999 e 2003 comandou a equipe em boas campanhas no Paulistão e Campeonato Brasileiro – principalmente em 99 e 2001. Foi negociado depois com o Corinthians e ainda vestiu as camisas de Santos, Portuguesa, Inter de Limeira e outros clubes.

Claudinho
Revelado pela Macaca em 1994, Claudinho chegou ao Brasil sub-20 no ano seguinte e fez parte de campanhas importantes em 1997 e 99 acumulando dois acessos pelo clube.

Menções honrosas: Robertinho Moreno, Aílton Lira, Celsinho, Jacózinho, Márcio Luís e Sérgio Morais.

Comente com seu Facebook