Enquanto o futebol segue paralisado devido ao coronavírus muitos têm optado por relembrar campanhas, histórias, jogos e também contratações. O Guarani durante o período de 2010 e 2020 apostou em muitos jogadores que acabaram não rendendo o esperado.

O Portal CB destaca 10 jogadores que foram contratados e deixaram o Brinco de Ouro com passagens decepcionantes.

EWERTON MARADONA
Revelado pelo Atlético Mineiro, Ewerton desembarcou no Brinco de Ouro após passagem pelo futebol europeu e carregando um apelido de grande responsabilidade: Maradona. O jogador foi premiado como um dos melhores do Campeonato Mineiro antes de vestir a camisa do Bugre e foi um dos nove jogadores que vieram da Caldense, mas disparado o que mais decepcionou em relação ao que se era esperado.

RENTERÍA
Campeão do mundo com o Internacional, campeão mineiro com o Atlético, campeão da Libertadores com o Santos, campeão português com o Porto e passagens por Once Caldas, Millionarios e Racing. Rentería chegou no Brinco de Ouro com um currículo que poucos tem, mas foram necessários apenas quatro jogos em 2017 para ter o contrato rescindido de forma antecipada após não render em campo.

PAULINHO
Eleito melhor jogador da Copa do Brasil em 2013 pelo Flamengo, Paulinho ainda atuou por Santos e Vitória antes de desembarcar em 2017 para ser o craque do elenco do Guarani na reta final da Série B. Mas dentro de campo foram sete jogos, nenhum gol marcado e muitas expectativas frustradas.

REINALDO
Artilheiro no Criciúma, Botafogo e Grêmio, além de ter tido boa passagem pela Turquia, Reinaldo foi contratado para ser o camisa 9 do Guarani em 2010, mas deixou o Brinco de Ouro com apenas dois gols em 15 jogos e pouco futebol.

RENAN
Revelação do Brasileirão de 2010 com o Avaí, contratado pelo Corinthians em 2011 e convocado para Seleção Brasileira. O goleiro Renan chegou no Brinco em 2013 como uma das principais contratações daquela temporada, mas sofreu 21 gols em 10 jogos e ficou marcado por grandes falhas na meta bugrina.

MAX PARDALZINHO
Eleito melhor jogador do Campeonato Goiano em 2011 pelo Goiás, Pardalzinho foi contratado pelo Palmeiras e repassado ao Guarani no ano seguinte para ter mais rodagem. Mas os 14 jogos com a camisa bugrina foram cruciais não apenas para sua saída da equipe campineira, mas também do Palmeiras.

MAX
Artilheiro de aço, Max foi a contratação que gerou grande expectativa em 2016. Ele chegou no Brinco de Ouro após ter marcado 35 gols entre 2013 e 2015, mas na temporada em Campinas marcou apenas um em quatro jogos.

VITOR FEIJÃO
Antigo sonho da diretoria bugrina, Feijão foi um dos jogadores mais disputados em várias janelas de transferência e acabou aceitando o convite de jogar em Campinas em 2019. O fato é que o meia-atacante deixou o Brinco de Ouro sem deixar saudades e não rendendo o mesmo das passagens por Paraná e Criciúma.

PABLO ARMERO
Um lateral que jogou Copa do Mundo, atuou por um dos principais times do Brasil como titular por anos e passou por Milan e times da Europa. Armero chegou no Brinco de Ouro após uma passagem polêmica no CSA e não conseguiu recuperar o bom futebol em Campinas. Mais um jogador que gerou expectativa pelo currículo, mas decepcionou quando esteve em campo.

FLÁVIO CAÇA-RATO
O símbolo das contratações que não vingaram entre 2010 e 2020 se chama Flávio Augusto do Nascimento. Caça-Rato ficou conhecido como CR7, em comparação ao astro português Cristiano Ronaldo, após temporadas pelo Santa Cruz entre 2013 e 2014. O atacante foi contratado na tentativa de expandir o marketing do Bugre em cenário nacional, mas não funcionou nem dentro nem fora de campo.

E para você: quais jogadores foram contratados com expectativas elevadas na década, mas não renderam com a camisa do Bugre?

Comente com seu Facebook