Suspensão e problemas físicos impedem Kleina de definir time titular

0

Mais um treino fechado no CT do Jardim Eulina. E desta vez, o treinador não pode adiantar a escalação da equipe que entra em campo nesta terça contra o lanterna Boa Esporte no estádio Moisés Lucarelli. A grande dúvida do comandante está no substituto do atacante Junior Santos, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Mas Kleina também aguarda uma plana recuperação física do meia Matheus Vargas e do atacante André Luís que fizeram apenas um trabalho de recuperação física. Os dois têm boas chances de estarem em campo na próxima rodada.

NA TELA DA BAND

Com estes problemas, o treinador admitiu a possibilidade de alterar o esquema tático, dependendo das peças que escolher para iniciar a partida. “A gente vem num 4-4-2, podemos trabalhar com 3 atacantes nessa situação ou mantermos a formação com outra característica no 4-4-2 também”.

Do gol até a dupla de volantes, a Ponte será a mesma que venceu o São Bento na última sexta. Tiago Real, que sentiu grande desgaste na rodada passada, está recuperado e deve ser o primeiro meia da equipe. Se Matheus Vargas não reunir condições, Murilo seria a opção natural, por ser meia de origem. Mas Kleina também pode colocar mais um atacante em campo. Neste caso, Felipe Saraiva, Neto Costa ou Roberto (recuperado de lesão) seriam as opções. No ataque, a ausência de Junior Santos deve dar lugar para Hyuri ser a referência ofensiva.

A provável formação da Macaca terá: Ivan; Ruan, Renan Fonseca, Reginaldo e Danilo Barcelos; João Vítor, Lucas Mineiro, Tiago Real e Matheus Vargas (Murilo); André Luís (Roberto) e Hyuri.

Invicta sob o comando de Gilson Kleina, a Ponte busca a quarta vitória consecutiva em casa. “Dentro dos nossos domínios, façamos o que estamos fazendo: uma postura fortte, nossa personalidade, nossa identidade”, disse o treinador.

Kleina também reforçou que a Macaca só tem mais dois compromissos em casa este ano e que isto é mais um atrativo para o torcedor comparecer ao Majestoso na noite desta terça.

“Nós temos que encarar o Boa com a melhor preparação possível. De toda a rodada, o melhor resultado sempre tem que ser o nosso, e é o que está acontecendo (…) não importa que a gente vai enfrentar, tem que analisar o desempenho e a atitude da nossa equipe”, disse o comandante se referindo ao fato da equipe mineira estar praticamente rebaixada e, num primeiro momento, pode não oferecer riscos à Ponte. Se a rodada for favorável, a Ponte pode ficar a um ponto do G-4 em caso de vitória sobre o Boa.

 

Comente com seu Facebook