Guarani é vice da Série B de 1991

0

A Série B de 1991 foi disputada por 64 clubes divididos em oito grupos. Jogaram dentro dos grupos em turno e returno e os dois primeiros de cada chave se classificavam para o mata-mata. O Guarani conseguiu a classificação e iniciou as oitavas de final diante do Botafogo de Ribeirão.

NA TELA DA BAND

O primeiro jogo foi realizado no Brinco de Ouro e terminou empatado sem gols. Na volta, em Ribeirão, empate por 1 a 1 e classificação do Bugre. Nas quartas o desafio seria diante do Noroeste. Em Campinas, jogo truncado e empate por 1 a 1, mas na volta o Guarani venceu por 2 a 0 e disputaria o acesso contra o Coritiba.

O Bugre perdeu o primeiro jogo por 1 a 0, em Curitiba, mas venceu pelo menos resultado em Campinas, com gol de Pereira, forçando a disputa dos pênaltis. Marcos Garça defendeu a quinta cobrança do Coxa e Edson Abobrão converteu para garantir o acesso bugrino à elite e a classificação para a decisão diante do Paysandu.

No primeiro jogo da final, em Campinas, o Guarani venceu por 1 a 0 e jogaria com vantagem em Belém do Pará. Mas a partida no Mangueirão foi marcada pela polêmica arbitragem de Manoel Serapião Filho. O Paysandu abriu o placar aos 21 minutos do segundo tempo com Cacaio e ampliou com Dadinho aos 36, quando jogadores do Guarani iniciaram um grande protesto contra Serapião, que expulsou seis jogadores do Bugre (Biro-Biro, Vonei, Julimar, Valmir, Jura e Zé Roberto), sendo assim, a partida foi encerrada por falta de jogadores e o título ficou com o Paysandu.

PAYSANDU 2×0 GUARANI

Local: Mangueirão, Belém

Data: 26/05/1991

Árbitro: Manoel Serapião Filho (BA)

Assistentes: Cláudio Falcão Seixas (BA) e Sérgio Tapioca da Silva (BA)

Gols: Cacaio e Dadinho para o Paysandu

Renda: Cr$ 30.428.500,00

Público: 34.039 pagantes

Cartões Vermelhos: Biro-biro, Vonei, Julimar, Valmir, Jura e Zé Roberto

PAYSANDU: Luís Carlos, Paulo Cruz, Ari, Pedrinho e Léo; Edgard, Maurício (Jorginho Macapá) e Oberdan; Cacaio, Dadinho e Gerson. Técnico: Joel Martins.

GUARANI: Marcos Garça, Jura, Vladimir (Zé Roberto), Julimar e Valmir; Biro-biro, Vânder Luís e Edson Abobrão; Nenê (Adriano), Vonei e Claudinho. Técnico: Pepe.

Comente com seu Facebook