Excessos, erros ou alternativas? Com grupo grande, Guarani tem até escalação dos escanteados

0
Créditos: Letícia Martins/Guarani Futebol Clube

por júlio nascimento

NA TELA DA BAND

Com a reta final da Série B se aproximando, o técnico Umberto Louzer começa a pensar em novas estratégias e formações para o Guarani. Mas chama atenção que o terceiro time – nome dado para os atletas que participam menos dos coletivos táticos -, tem praticamente uma escalação completa, algo muito raro em competições como Série B.

Isso pode ser explicado de três formas: excessos na montagem do elenco com um grupo grande sem necessidade, contratações erradas que forçaram novos pedidos da comissão técnica ou alternativa de um elenco recheado para enfrentar uma competição de 38 rodadas. A última alternativa é a mais descartável porque Louzer não é amante do rodízio e prefere definir uma base.

Portal CB fez um levantamento baseado nas atividades desta semana dos jogadores que menos participaram do coletivo tático.

GOLEIRO – GEORGEMY: o jogador de 23 anos foi contratado após passagem discreta pelo Tupi, de Minas Gerais, mas com um currículo que chamava atenção. Formado pelo Cruzeiro, experiência na Europa e jogou em quase todas seleções de base. Mas bastou um jogo para o goleiro de 1,98m perder espaço e virar a quarta opção no Bugre. A única partida em que Georgemy atuou foi diante do Boa Esporte, na 13ª rodada, há exatamente um turno.

LATERAL – ROMISSON: ex-Londrina, o volante e lateral de 22 anos ainda não estreou. Ele está no elenco há três meses.

ZAGUEIRO – ANDERSON DE JESUS: emprestado pelo Grêmio, o zagueiro de 23 anos não entra em campo desde a terceira rodada da Série B. São seis meses sem entrar em campo. A última vez que Anderson foi relacionado foi no confronto diante do Oeste, na 14ª rodada, em julho.

ZAGUEIRO – EVERTON ALEMÃO: iniciou o returno como titular, mas perdeu espaço após as falhas contra o Fortaleza e foi substituído por Philipe Maia. Depois, com a chegada de Fabrício e o crescimento de Ferreira, passou a ser quinta opção no elenco.

LATERAL – MARCÍLIO: um dos casos mais emblemáticos no elenco. O lateral de 23 anos foi titular na campanha do título na Série A2, mas perdeu a titularidade na sétima rodada e virou terceira opção após a chegada de Romário. A última partida foi contra o Figueirense, na 24ª rodada, em agosto.

VOLANTE – DENNER: 12ª jogador no primeiro turno, Denner ainda não jogou no segundo turno. Ele foi relacionado nos últimos cinco jogos do Bugre, mas não entrou em campo.

VOLANTE – MATEUS SILVA: há três meses no grupo, o volante de 26 anos ainda não estreou.  Ele estava no Nacional, de Portugal.

MEIA – GUILHERME: uma das principais decepções da comissão técnica do Guarani. Após se destacar no Campeonato Paulista com o Ituano, o meia de 23 anos foi destaque nas rodadas iniciais, mas perdeu espaço principalmente pelo rendimento nos treinamentos. O último jogo foi na abertura do returno, diante do Fortaleza, no início de agosto.

ATACANTE – ERIK: displicente dentro de campo e desanimado fora dele, Erik era um dos principais jogadores na campanha da Série A2 e foi titular até a 12ª rodada da Série B. Depois perdeu espaço e não atua desde a 22ª rodada, quando esteve em campo por onze minutos, dia 21 de agosto, contra o Atlético-GO.

ATACANTE – DOUGLAS SILVA: indicado por Lucas Andrino, o atacante de 19 anos, formado pelo Bahia e que estava no Desportivo Brasil, não atuou nos três meses que está integrado ao grupo.

ATACANTE – GABRIEL POVEDA: destaque no Campeonato Paulista sub-20, Poveda subiu para ser uma das opções para o ataque bugrino, mas não joga há um mês. Também treinou nesta semana no terceiro time.

Questionado na última segunda-feira pela quantidade de jogadores que não são aproveitados, o presidente Palmeron garantiu que todas peças são importantes. “Não há nenhuma peça decorativa no Guarani. Todos são importantes e sabem do seu papel dentro do clube”, explicou o dirigente.

Comente com seu Facebook