E agora Umberto? As opções do treinador para tentar melhorar o desempenho contra o CRB

0

A derrota em casa para o Goiás na última rodada do Brasileiro da Série B deixou algumas questões para o técnico Umberto Louzer a principal e mais imediata é: vale a pena mudar esquema tático ou escalação para o confronto desta sexta contra o CRB?

NA TELA DA BAND

O comandante alviverde só terá um trabalho de campo com o elenco para trabalhar a equipe antes do próximo compromisso. A falta de tempo deve fazer o Bugre não ter grandes novidades entre os titulares. No entanto, o time vem apresentando queda de rendimento no setor ofensivo (time não marca gol há 3 rodadas) e o desgaste físico pode influenciar as escolhas dos atletas.

No setor defensivo, o treinador vai fazer uma alteração. O zagueiro Fabrício foi vetado por causa de dores musculares e Edson Silva deve fazer dupla com Philipe Maia. Apesar da falha de Agenor no segundo gol dos goianos, o camisa um tem crédito, fez defesas importantes diante do Goiás e no dérbi campineiro e hoje não se pensa num substituto. Kevin também é incontestável pelo lado direito. Na esquerda, apesar de Pará novamente fazer uma má apresentação na última rodada, o recém-contratado Romário ainda não tem condições de jogo e Marcílio não agradou tanto quando teve oportunidade duas rodadas atrás.

As dúvidas começam no meio campo. Ricardinho é praticamente intocável. Já William Oliveira não fez uma boa apresentação diante do Goiás. Louzer pode mexer no setor com o retorno de Fabrício Bigode. Ou então, como o jogo será fora de casa, o treinador também tem a opção de manter Oliveira e colocar mais um volante, no caso Bigode. Lembrando ainda que o volante Denner, que ficou no departamento médico por 20 dias mas está recuperado há duas semanas, pode pintar no banco de reservas novamente (a bola parada do jogador já foi decisiva para o Bugre), mesmo caso de Felipe Rodrigues, que teve a sequência no time atrapalhada por uma lesão.

Se o esquema com 3 volante for o escolhido, um dos homens de frente seria sacrificado. Bruno Xavier seria a primeira opção para isto, já que também não fez boa partida diante do Goiás. Matheus Oliveira é outro que pode estar com a vaga ameaçada.

Mas a comissão técnica vai recorrer aos departamentos médico e fisiológico para escalar o time. Isto porque os jogadores têm apenas 2 dias de intervalo entre o jogo de terça em Campinas e a partida desta sexta em Maceió. O meia Rafael Longuine e o atacante Bruno Mendes são os que mais estão acusando cansaço nos últimos relatórios do clube. Se o meia for poupado, Rondinelly é a primeira opção, mas Jeferson Nem também está na disputa. Outro meia do elenco é Guilherme, mas ele não entra em campo desde o início do returno há quase um mês (11/08).

Já para o lugar de Bruno Mendes, o treinador não tem encontrado o mesmo desempenho no substituto: Marcão ainda não balançou as redes nas 6 partidas em que foi acionado e Caíque ainda não mostrou o mesmo rendimento que rendeu a renovação do contrato no início da temporada.

Opções não faltam a Umberto Louzer que não perdeu jogadores por lesão ou suspensão para a próxima partida. Fora de casa e diante de um adversário desesperado, a tendência é adotar um esquema mais cauteloso, mas a necessidade de recuperar pontos perdidos em casa no jogo longe de Campinas pode fazer o treinador utilizar força máxima, mesmo sabendo do desgaste de algumas peças.

Comente com seu Facebook