Ataque funciona, mas defesa ainda inspira cuidados no Bugre

0
Atacante Bruno Mendes (à dir.) e meia Rondinelly são os destaques do setor ofensivo do Bugre. Foto: Guarani Press – Letícia Martins

O elenco do Guarani comemora a boa fase nesta reta final de Campeonato Paulista da Série A2. Faltando 6 rodadas pro final da etapa classificatória, o Bugre precisa de mais 3 vitórias para garantir presença no mata-mata.

NA TELA DA BAND

O melhor ataque da Série A2, ao lado do Nacional, com 19 gols em 9 partidas, tem mostrado que dificilmente o Bugre passa um jogo sem balançar as redes. Somente nas derrotas por um a zero para Oeste (na estreia) e XV de Piracicaba (7ª rodada) o time não tirou o zero do marcador. Além disso, o atacante Bruno Mendes, com 5 gols, é candidato a artilheiro da competição. À frente dele estão Bruno do Nacional, Gustavo Sapeca do Rio Claro e Everton do XV de Piracicaba, todos com 6 gols. E tem ainda Bruno Nazário e Rondinelly que já balançaram as redes 4 vezes e podem chegar no topo desta disputa, ainda mais pela evolução do futebol dos dois nas duas últimas partidas.

A questão que vem incomodando o técnico Umberto e o próprio elenco do Bugre é o excesso de gols sofridos. A média é de mais de um gol por jogo (11 em 9 partidas). E não há um diagnóstico preciso de qual vem sendo o problema. Desde a saída do zagueiro Willian Rocha, a média aumentou um pouco (1,5 gol sofrido por jogo nas últimas 4 rodadas). No entanto, Rocha e agora Fernando Lombardi atuam pelo lado esquerdo e a maioria dos gols tem origem pelo lado direito, onde Lucas Kal é o zagueiro titular.

Após a vitória sobre o Audax, o técnico Umberto comentou as falhas defensivas apresentadas principalmente nos dois gols do adversário. Mas também evitou fazer críticas ao elenco: “A gente tem conversado com o Kal, algumas tomadas de decisões para que ele consiga se ajustar. É um atleta que a gente tem que dar total confiança, é um menino que fez boas partidas no decorrer da competição. A gente precisa trabalhar, corrigir os erros, não somente do Kal, mas de todos os outros atletas também”.

Lembrando que a diretoria ainda busca pelo menos mais um zagueiro para a sequência do Estadual. As inscrições de atletas para a Série A2 terminam na próxima quinta-feira. “O mercado tá muito complicado, a gente precisa pontuar essa carência que o Willian Rocha nos fez, mas temos que ter equilíbrio, lucidez pra trabalhar no dia-a-dia, dar apoio aos atletas para poder reverter este quadro e eles possam nos ajudar no decorrer da competição”, disse o treinador.

Comente com seu Facebook